Usando Synergy para compartilhar teclado e mouse

A revista INFO publicou uma ótima dica para compartilhamento de periféricos entre computadores. Dentre os softwares citados o que chamou mais atenção foi o Synergy. Com ele consegui compartilhar o teclado e mouse entre notebook e desktop de forma simples e rápida. É comum utilizarmos a saída VGA do notebook plugando um monitor e “alongando” a área de trabalho. Particularmente, não gosto dessa forma pois, ter que gerenciar a disponibilidade das janelas entre um monitor e outro é um tanto chato.
No Synergy consegui fazer o inverso, compartilho mouse e teclado de forma transparente entre os dois computadores. Para isto basta fazer o seguinte:

Em ambos computadores digite: sudo apt-get install synergy

Após instalação você terá dois aplicativos synergyc (client) e synergys (server).
No computador que será o server crie um arquivo chamado synergy.conf. Você pode salvá-lo em qualquer lugar, para efeito de padronização coloquei o meu em /etc/synergy.conf.
O conteúdo do arquivo deve ser:

section: screens
screen1:
screen2:
end
section: links
screen1:
right = screen2
screen2:
left = screen1
end

Screen1 e screen2 devem ser substituídos pelos respectivos hostname de cada computador. Para iniciar o servidor basta digitar: synergys -f –config /etc/synergy.conf. A opção -f é o modo verbose e serve para verificar se a configuração está correta. Se a configuração estiver ok ela pode ser suprimida. Agora no computador cliente digite: synergyc -f hostname-servidor. A opção -f tem o mesmo efeito que no servidor.
Se tudo ocorreu bem, quando o mouse chegar a extremidade do monitor de um pc ele irá automaticamente “aparecer” no outro pc. Neste momento o teclado também estará disponível para o outro computador. (vídeo abaixo).

Esta forma de compartilhamento considero mais vantajosa pois não deixa um computador ocioso, usufruo de todos recursos disponíveis de forma rápida e transparente.
Vale uma observação, no meu ambiente, tanto meu notebook quanto meu desktop possuem o mesmo usuário com a mesma senha e não precisei utilizar o usuário root (sudo) para iniciar os compartilhamentos, porém, ao executar em um ambiente com usuários diferentes, o compartilhamento só funcionou através do usuário root (sudo).
Outra observação, as máquinas devem se reconhecer na rede via hostname, se você não tem um servidor de dns interno que faça isso, basta adicionar no arquivo /etc/hosts de cada pc o ip e o hostname referente de cada computador. Para testar se as máquinas conversam entre si via hostname, execute um ping passando como parâmetro o hostname ao invés do ip da máquina.

Ex.: ping screen1

Pelo pouco que li no site oficial, perecebi que esta é apenas umas das muitas outras utilidades do Synergy, vale a pena testar novas configurações.

Anúncios

Sobre o artigo IDG Now

Foi publicado um artigo na IDG Now falando que o Linux não vingou no Desktop. Concordo em partes com o artigo. Realmente o Linux ainda não vingou no Destop e não vingou por quê?

Definitivamente a culpa não está no sistema operacional, como toda mudança envolve cultura e este ponto do artigo que me chamou atenção. Segue uma frase do texto “…Nós estamos tão acostumados com o Windows que nem percebemos o quanto ele é completo e funcional para o usuário comum…”. De certa forma esta frase tem um cunho de verdade porém a “funcionalidade completa” fica estranho quando não conhecemos realmente outras opções. Todo mundo sabe que usuário algum gosta de reaprender, basta ver o transtorno que dá quando uma empresa resolve trocar algum sistema interno já usado a bastante tempo por um novo mesmo que este seja melhor. Então transporte esse problema para um sistema operacional e exponencie a quantidade de usuários, é realmente é um problema. O sistema novo (no caso o Linux) pode ser muito melhor que qualquer outro mas o problema é na mudança.

Neste ponto que trata-se de usuário o artigo tem toda a razão porém, quanto a qualidade de interfaces discordo pois, podemos deixar o Linux exatamente com a interface do Windows (não querendo dizer necessariamente que isto melhore a interface), mas mesmo assim o usuário ainda vai dizer: “Cadê meu C: daqui?”

Outro grande problema que ajuda o usuário em sua grande maioria a não trocar de SO se deve ao “Windows Piratation Edition”. Quanto dessa percentagem perquisada usa um Windows original? Até mesmo quando adquiri-se um novo computador, que vem com Windows Vista atualmente, assim que chega na sua casa o usuário já pede para o primo da vizinha colocar o XP (dos males os melhores).

Esse natal tive 4 experiências com esses computadores novos com sistemas pré instalados. Duas delas tinham Linux instalados porém como comentei neste post, a instalação era bem incompleta então coloquei Ubuntu e deixei tudo funcionando. Outras duas eram Windows Vista. Os usuários solicitaram a instalação do XP, nem preciso dizer que não faço isso. Acredito que tenha muita gente falando bem de uns SOs e mal de outros sem ter o real conhecimento da “causa”.