Primeiras Impressões Ubuntu 10.04 (Lucid Lynx)

No final de Abril será lançado oficialmente o Ubuntu 10.04 cujo nome é Lucid Lynx (LTS), apesar disso já é possível atualizar sua versão antiga para esta que está no forno. Foi exatamente o que fiz. Como muitos já leram em diversos blogs, existem inúmeras mudanças destacadas. Comentarei aqui as mudanças e novidades que me chamaram a atenção.
A principal mudança, inclusive a que me fez atualizar antes mesmo do lançamento oficial, foi a sincronização com o iPod Touch (iTouch). Após atualizar a minha antiga versão só tive que conectar o meu iTouch e, ao contrário da versão anterior que nada acontecia além de montar o driver de fotos, o Ubuntu já me questionou se desejava executar o Rhythmbox. Aceitando a sugestão, todas músicas do meu iTouch já estavam disponíveis no software. Selecionei minha biblioteca de músicas do computador e arrastei um albúm qualquer para o meu iTouch listado como media removível. No mesmo instante o display do iTouch exibiu que existia uma sincronização em progresso, “works like charming”. Sincronização terminada fui verificar se as músicas, assim como a capa do álbum estava disponível no iTouch. Pronto! Só com esta novidade ganhei 4Gb de espaço no HD do meu notebook excluindo a máquina virtual do Windows que usava apenas para sincronização com iTunes.
Outra novidade é o novo tema, muitíssimo bonito! Junto com o tema uma mudança que ouvi falar tanto bem quanto mal foi a mudança da posição dos botões de minimizar, maximizar e fechar as janelas. Assim como no Mac OS eles estão do lado esquerdo agora. Confesso que, de imediato, incomodou um pouco até que, certo dia que estava utilizando a versão 9.10 no trabalho, descobri a real finalidade, na minha opinião, desta troca de lado dos botões. Não sei com vocês mas, inúmeras vezes comigo, as notificações atrapalhavam a utilização desses botões pois ficavam exatamento no que eles na vesão antiga.  Utilizando os botões do lado esquerdo isso não acontece, justamente por isso, na empresa, onde não atualizei meu SO ainda, já troquei a posição dos botões para esquerda também. Não sei se foi esse o motivo que o pessoal do Ubuntu alterou a posição dos botões mas esse motivo que descobri justifica sem dúvida.
Falando em notificações, esta é uma outra mudança ocorrida, MyMenu onde ficam todas as notificações de mensagens instantâneas (msn, gtalk, jabber, etc…) e de broadcasting (twitter). O programa padrão de mensagem instantânea, desde a versão anterior, é o Empathy e para twitter é o Gwibber. O Gwibber, da versão anterior para essa nova melhorou muito mas ainda não é o meu preferido, até tentei utilizá-lo por algum tempo logo que atualizei porém, um recurso muito interessante que a maioria dos outros clientes possuem e que não encontrei no Gwibber é o envio de imagens. Não visitei o site do projeto mas acredito que seja algo programado para futuras versões. Outro deficiência, esta já não sei se é do Gwibber ou do sistema novo de notificação por ser uma versão candidata ainda, é que o Gwibber só notificava mensagens que continham @tonismar (meu twitter). Perguntei para algumas pessoas que já estão usando a mesma versão e eles não tiveram esse problema. Já o Empathy como cliente de mensagem instantânea deixa bem mais a desejar pois, querendo ou não, a maioria dos meus contatos ainda usam o programa de mensagens instantâneas do Windows, messenger. A compatibilidade do Empathy com este protocolo é bem precário, não é possível nem mesmo enviar arquivos para seus contatos. Seria interessante a comunidade mirar seus esforços para melhorar essa compatibilidade.
Notei uma melhora na velocidade de Boot considerável também.
Porém, algo que realmente me incomoda e que ainda nesta versão não houve nenhuma melhora, é a lentidão irritante do Nautilus. Possuo uma biblioteca de músicas considerável, também possuo uma considerável lista de filmes e séries. Com Nautilus, simplesmente não consigo acessar esses diretórios, o Nautilus fica tentando até que o processo do Nautilus morre. Minha solução atualmente é utilizar o Thunar como substituto no gerenciamento de arquivos. Ele realiza muito bem esta tarefa é muito rápido. Fica a dica.
No geral estou contente, como sempre, com esta nova versão do Ubuntu, lembrando que estou usando uma versão ainda não oficial e não tive problemas. Diferente das vesões anteriores onde sempre esperava uma ou até duas semanas para atualização desta vez me adiantei. Parabéns mais uma vez para a comunidade, só lamento não ter auxiliado na tradução com fiz em versões anteriores, ando meio ocupado, porém para o 10.10 pretendo participar mais.

Anúncios

Trocando Gnome por KDE (parte 1)

Um dias desses olhando o ambiente de trabalho de um colega notei que este usava o KDE. Além da bonita aparência, o desempenho me chamou bastante atenção pois, sabia que ele possuia uma configuração de hardware inferior a minha e o KDE não parecia estar “sugando” seus recursos. Não que tenha problemas de desempenho com o Gnome mas, um dos motivos que me afastou do KDE um tempo atrás foi o seu desempenho, o Gnome sempre foi mas eficiente neste quesito ao meu ver. Abstraí todos meus “preconceitos” e executei o comando:
# apt-get install kubuntu-desktop
Depois da instalações de vários softwares o ambiente KDE estava pronto para ser usado. Efetuei logout e iniciei a sessão com o Kde. Já de cara percebi a diferença com relação ao Gnome e sabia que ia ser interessante (talvez dolorosa) a adaptação. Algo que incomodou bastante inicialmente, foi o fato de que o KDE vem como padrão o clique único para executar aplicativos, acessar diretórios e etc…
Apesar de ser possível alterar essa configuração optei por deixá-la já que queria me adaptar ao Kde, não queria um Kde com cara de Gnome. Outra diferença notável é o painel único na parte inferior do desktop, ao contrário do Gnome, onde uso um painel inferior e outro superior. Muitos até podem alegar dois painéis uma perda de espaço, para mim funciona bem, deixo a painel inferior apenas com as janelas dos software que estou utilizando e informações de hardware, enquanto no painel superior fica os menus e o trayicon. Desta forma as informações das janelas minimizadas ficam legíveis. Porém, pelo mesmo motivo que a opção do clique, deixei um único painel. No Gnome, uso muito o gnome-do, a facilidade de executar programas através deste aplicativo é enorme. No KDE temos essa opção também, através de outro software, o que me facilitou muito na hora de executar um programa, não causando dificuldade de adaptação.
O visual do KDE é muito bonito e facilmente altera-se entre um tema e outro, assim como é fácil adquirir novos temas. A integração com os temas disponíveis on line facilita bastante, ao contrário do Gnome que preciso acessar o art.gnome.org ou gnome-look.org, efetuar o download e depois instalar. Em compensação o Gnome é melhor na personalização dos temas, no KDE desisti de instalar bordas de janelas diferentes, pois todos as buscas que fiz me levaram a compilações etc… Sem discussões, precisar compilar algo para se ter uma borda diferente? Não me serve. Ok, desktop com a aparência quase a minha desejada, não teve jeito de colocar borda diferente das disponíveis.
Temina aqui a primeira parte desde post. Próximo post falarei sobre o dia-a-dia usando o KDE, aplicações padrões, etc…
Até mais.